Competitividade sistêmica e o trigo: rumos de um sistema em desequilíbrio

Postado por em 15:18 hrs. em Periódicos Científicos | 4 comentários


Revista Paranaense de Desenvolvimento, Curitiba-PR, v. 91, p. 49-72, 1997.
Autores: Paulo Furquim de Azevedo, Samuel Ribeiro Giordano 
Resumo: Os processos de desregulamentação e abertura de mercado tiveram impactos particularmente fortes no sistema agroindustrial do trigo (Sag), impondo transformações profundas em todos seus elos: da triticultura ao consumo final dos derivados de trigo. Este artigo procura identificar a competitividade em cada um dos elos do Sag do trigo, assim como a competitividade sistêmica, dada pela articulação entre esses elos. Para isso, são apresentados os conceitos de competitividade à luz de desenvolvimentos recentes da literatura econômica. A análise do quadro recente do setor demonstra que a triticultura nacional vem perdendo participação na oferta doméstica, o que ocorre em menor grau nos segmentos industriais. Estes últimos mostram-se capazes de implementar estratégias como segmentação de mercado e aquisições, que podem viabilizar sua sobrevivência e crescimento. Questiona-se, portanto, a necessidade do Sag do trigo contar com uma triticultura doméstica. Conclui-se que, embora a triticultura demonstre sinais de deficiência competitiva, sua sobrevivência é importante para a determinação da competitividade de moinhos, indústrias de massas, biscoitos e panificação.

4 Comentários

Contribua com esta página, poste o seu comentário.

  1. Betty

    Thanky Thanky for all this good informtaion!

  2. Eliza

    So true. Honesty and evertyihng recognized.

  3. Wind

    Aritlecs like these put the consumer in the driver seat-very important.

Deixe um Comentário