Estabilidade e difusão de arranjos verticais de produção:

Postado por em 15:39 hrs. em Periódicos Científicos | 0 Comentários


Artigo Publicado na Revista de Economia e Sociedade, Campinas, v. 11, n. 2 (19), p. 329-346, jul./dez. 2002.
Autores: Decio Zylbersztajn e Antonio Carlos Lima Nogueira
Resumo: O objetivo deste estudo é contribuir para o desenvolvimento teórico da coordenação vertical em sistemas produtivos, elaborando o conceito de “estabilidade e difusão de arranjos contratuais”. Considerando o paradigma do alinhamento eficiente das características da transação com o arranjo contratual, espera-se que os arranjos mais eficientes difundam-se e substituam aqueles menos eficientes. Esse processo pode ser descrito por uma curva logística ao longo do tempo, com potencial aplicação na elaboração de alianças estratégicas em cadeias agroalimentares. A coexistência de arranjos contratuais alternativos é um enigma para a literatura que se baseia no alinhamento eficiente e pode ser explicada por: (1) situações de desequilíbrio, (2) barreiras para a adoção do arranjo contratual novo e superior devido à existência de rotinas não replicáveis e (3) efeitos do ambiente institucional no nível de adoção de determinado arranjo. O conceito é exemplificado na indústria avícola brasileira, explorando-se sua utilidade para o estudo de estratégias cooperativas em cadeias agroalimentares e sugerindo estudos empíricos posteriores.

Deixe um Comentário